Buscar
  • Ariel

MEDITAÇÃO: A PORTA QUE SE ABRE POR DENTRO

"O primeiro ponto é saber o que é meditação. Tudo o mais é consequência. Não posso lhe dizer que você deveria praticar meditação; posso apenas lhe explicar o que ela é. Se você me entender, estará em meditação; não existe nenhum, "deveria" relacionado a ela. Se você não me entender, não estará em meditação."

OSHO

Meditar é um estado de não-mente e de pura consciência, sem nenhum conteúdo, é o esvaziamento e pausa. É a percepção que você não é sua mente, não se identificar com os seus pensamentos, é simplesmente esvaziar. Diria que é você voltar ao seu estado de infância, perceba como uma criança é meditativa, ela simplesmente está ali, naquela ação sem se preocupar com os seus pensamentos ou julgamentos. Na meditação, sua mente vai se esvaziando pouco a pouco e você entra em contato com o seu silêncio interior.

É natural durante este processo os pensamentos virem de maneira rápida e desordenada, você apenas observa, não adentra e nem se identifica com eles. Você só consegue entrar num estado meditativo quando de fato você deixa a mente de lado, ficando sereno e indiferente a ela, deixando a mente fluir, mas sem se identificar com ela, sem achar que ela é você.

Nesse momento, em que os pensamentos vão cessando pouco a pouco, você entra em silêncio interno e a meditação começa a acontecer.


Façamos uma analogia com a natureza, as flores desabrocham na primavera, de maneira natural, a semente em um sólo fértil simplesmente nasce, não existe uma força contrária, tudo apenas acontece, nada está sendo feito e ao mesmo o todo acontece. Esse estado- no qual você permite que a natureza tome seu curso, sem querer influenciar, julgar ou manipular - este estado de pura espontaneidade incontrolável: é a meditação.

Nesse momento sua mente está julgando este texto, se identificando ou repulsando, não importa. Tudo acaba passando pela nossa mente, aprendemos a nos tornar racionais, questionadores, manipuladores, julgadores. Mas entenda, nada desse texto ou dezenas de livros sobre a meditação poderão te ajudar se você não experimentar. Sinta no seu próprio corpo, este é um movimento de voltar a algo natural que foi perdido, seu corpo já foi meditativo, quando você adentra nesse universo, percebe que este conhecimento sempre esteve em você, é um destino que você já chegou antes, só precisava relembrar o caminho.

Como escolher uma meditação?

Assim como tudo na vida: escolha algo que te agrada e o caminho será bem mais fácil. Nossa mente tem uma capacidade natural para a meditação, não será um esforço se você der algo que seja atraente para ela.

Talvez a sua consciência sobre o que é meditação e suas formas podem estar te sabotando e te tirando do caminho. Gosto muito das meditações do Osho, porque te ensinam formas diferentes e adaptáveis para a maior parte das pessoas. Se para você ficar completamente parado, sentado, com as pernas cruzadas parece um grande esforço, o que acha de uma meditação ativa com muito som e movimento?


Note que não tem este jeito mais certo do que o outro, o ponto é o que realmente faz sentido para você. Simples assim.

A chave é você se permitir, muitas vezes um método te agrada por determinado tempo, depois acaba perdendo o sentido. É um sinal que você precisa progredir, ir além, se aprofundar. Faça tudo com contentamento, a partir do momento em que aquela prática está se tornando chata e sem sentido, passe para outra.

Tenha foco, escolha uma ou duas meditações e pratique por algumas semanas. Entre em contato com todos os sentimentos e emoções que te despertaram, não misture todos os métodos de uma só vez, porque confunde e se contradiz. Aprofunde enquanto perceber que continuem fazendo sentido e te trazendo contentamento (Santosha).

Abaixo algumas dicas para te ajudar a iniciar nesse caminho.

Escolha um local para a prática

Além de te ajudar a manter a rotina e a disciplina, eleger e preparar um local para a prática faz com que toda a vibração seja transformada. Sinta a energia ao entrar em um templo ou igreja por exemplo, a estrutura física fica imantada de uma vibração diferente, de cura, consciência e conexão, pois muitas pessoas se reuniram milhares ou milhões de vezes com o mesmo propósito naquele local. No seu espaço isso também vai ocorrer. Para isso é importante não usar este local para outras finalidades, ele deve ser exclusivo para os seus processos meditativos.


Para ajudar ainda mais na criação deste hábito, destine um horário específico para a meditação. Assim, seu corpo se acostuma àquela rotina e começa inclusive a sentir a vontade e necessidade de meditar com o passar dos dias, te ajudando a manter a prática.


Com o tempo você se torna tão meditativo que será capaz de meditar em qualquer momento ou local, porém como tudo na vida envolve tempo, treino e dedicação sugiro que sempre comece aos poucos e depois sinta o seu desenvolvimento. Sabe as rodinhas acessórias da bicicleta quando você começa a aprender o equilíbrio? É exatamente assim, no começo você precisará, depois que evoluir consegue andar sozinho.

Ritual

Crie seu próprio ritual, identifique o que te ajuda a se conectar, seja a música, incenso, vela, vestimentas, etc. É um processo também de autoconhecimento e descobertas.


Encontre o seu método ideal

A meditação é uma porta que se abre de dentro para fora, apenas você pode sentir o poder e transformação de cada meditação. Procure estudar, aprender, vivenciar e eleger a maneira que mais mexe com você. Pratique a que te parecer mais adequada e aprofunde. Permita-se transbordar.


Vamos continuar evoluindo? Clique aqui e aprenda sobre o Sagrado Feminino.



36 visualizações
  • Black Instagram Icon

Unidade Moema: Alameda dos Jurupis, 435 - Moema- (Menos de 10 minutos do Aeroporto de Congonhas)

Telefone: (11) 94803-5819/ (11) 5051-6795 (ligue apenas se procura por massagem tântrica)

 

 

© 2018 por Conexão do Tantra (todos os direitos reservados)

 NÃO oferecemos sexo !!! Entre em contato APENAS se procura por sessões de massagem tântrica terapêutica.

Atendimentos apenas  no nosso centro tântrico. NÃO atendemos em domicílio (Não insista !).